METODOLOGIAS

A abordagem territorial de desenvolvimento sustentável como a Agenda 21 Local pressupõe, por si só, a conjugação e articulação de um conjunto de componentes

No processo de desenvolvimento que permite às gerações atuais satisfazerem as suas necessidades sem colocar em perigo a satisfação das necessidades das gerações futuras, a abordagem territorial de desenvolvimento sustentável como a Agenda 21 Local pressupõe, por si só, a conjugação e articulação de um conjunto de componentes:

Ambiental - pilar essencial à sobrevivência humana, pressupõe a preservação dos ecossistemas e a proteção e conservação dos recursos naturais essenciais à vida.

Economia - numa perspetiva através da satisfação das necessidades de consumo, e na perspetiva geradora de riqueza (nomeadamente na criação de emprego) influencia diretamente o bem estar económico individual.

Social e Cultural - o acesso a condições de saúde, de educação e a integração de grupos sociais desfavorecidos, assim como a prática de catividades culturais, de lazer e desporto, constituem formas de satisfação de necessidades essenciais ao bem estar social, cultural e psicológico dos cidadãos.

Ordenamento do Território e Planeamento Urbanístico - constituem duas importantes áreas de intervenção, pois mobilizam os diversos instrumentos de planeamento com impacto direto no território, aproveitando os diferentes recursos naturais e as diversas potencialidades locais e regionais, favorecendo um modelo de desenvolvimento mais sustentável nos níveis económico, social, ambiental e territorial.

Sistema Institucional ou de Boa-Governação - a Agenda 21 Local, faz das Câmaras Municipais as entidades ideais para promover um processo participativo e partilhado por todos aqueles que intervêm nos diversos domínios da vida do concelho. A participação e cooperação dos poderes locais torna-se um fator determinante para o cumprimento dos seus objetivos.