Skip to main content

Exposição – Talêgos e Taleguinhos

Atualizado em 03/04/2023

A palavra “talêgo” é a forma regionalista do substantivo “taleigo, do árabe “ta’liga” que significa saco.

Nos dicionários encontramos ao longo dos tempos diversas variantes da palavra “taleiga”, “taleigada”, “taleigão”, “taleigo” e “taleiguinho”.

São sacos de pano feitos de memórias em forma de retalhos, assim são os taleigos, talegas, talêgos, sacos de pão, foles, mântica, patrona, alforge, bornal, bolsa, pedaços do antigamente que perduraram até à atualidade.

Inicialmente feitos de retalhos, contavam a história de quem os cosia em cada pedaço de camisa, avental ou camisa de dormir, todo o tecido era reaproveitado, transformando-se em peças úteis que serviam para guardar e transportar as mais variadas coisas. Desde a farinha da moagem ao pão, passando pelas ervas aromáticas, pela merenda, pelo feijão e até pela roupa que se levava para a tropa, a vida era carregada nestas singelas bolsas de pano. Havia ainda as de veludo para os peditórios de dias santos ou para as noivas levarem o enxoval, ligando-as a toda uma simbologia que constitui a nossa história.

Podiam ser forrados no interior, com um cordão colorido de crochet ou nastro que corria dentro de uma bainha e que os permitia fechar, outras tinham nas pontas biquinhos, borlas ou pompons.

Hoje em dia, continuam a servir o mesmo propósito, sendo a alternativa ecológica perfeita para a redução do uso de plástico, e além de úteis podem ser tão criativos quanto a imaginação permitir.

O Município de Portel agradece a todos aqueles que cederam os talêgos que fazem esta exposição, que são a memória das nossas avós, mães e que ainda fazem parte do quotidiano de qualquer casa.